Pular para o conteúdo principal

CRIANÇA ACRATA.

Alguns poemas do meu livro inédito CRIANÇA ACRATA
FELIZ ANIVERSÁRIO, JESUS!
Fétida alcova
de musgos bucólicos
(presente)
pego um pão sem pedir
-pudim-
prego (futuro?)
Na santa ceia
pão mofado, atado
maltratado, trigo
trago - (vinho) - a nova
de intrigas
a-tre-lado ( a lado)
(de que lado tu estás?)
Pergaminho inculto
culto -a- teu
incólume caminho alado
bergamota e alumínio
O mínimo
ácido sulfúrico
suco de framboesa
e merengue no bolo
uma - pessoa -
completa - 33 - anos

FADA

dias lunares
grampos no cabelo
menina de olhos/verdes
pastos - que a ovelha
mastiga, manteiga e avelãns

AMALTÉIA

cornu(cópia) figurativa
diagonal luxúria insana
clama - pelas chamas
na clave, Diana?
dígrafos de sol
soldados de chumbo
diga que lhe ama
diáspora - na cama -
invólucro em muros de sangue
mangue, extrato de fortuna
(urna) de ouro,
gang de mouro
ilustrativa imagem de Amaltéia
quem tiver - uma idéia - cornucópia
exala aromas de azaléia
CONTEMPORANEIDADE REMOTA
tiro de fuzil/fugitivo
literatura barroca/ oca por dentro-
canil apocalíptico/sifilítico etílico
transtorno enigmático/asmático
Pragmático
Deméia, surtam / furtam tambores
o vinho, transpassam funil(ária)
anarquia, a prole do dia
coração mecânico / messiânico anzol

CÉLULA MÃE

vingança - plasmática,
um citoplasma sem núcleo
(social)
Sade, normal (ateu)
plebeu teocrático
asfaltos telúricos
de tudo - um mudo? i-mudo
e-mail - entre-veio

CARNAVAL

carnaval / naufrágio
a(val)/ no álcool
nava(lha) a - nal
(?) navalha / batalha
naval (ha), navio
no vinho, ou Baco?
bacanal, carnavalo

CINEMA MUDO

preto no branco
azul mil
verdes metas, incêndio
arrombando cofres
estrogonofe champagne
meus diários remotos
ornamentos da escrita
mal dita algumas linhas
- finjo entrar no trem -
outrem, quer dizer
um ser fútil, um
verme, alguém?
Ontem, choveu
nu(a)vens de hortelã

DRAMATURGIA CELESTIAL

queijo fatiado
como corpo de abutre
mestre de imperfeições
castigo -da- religião
ingrata, mata
esconde o pau,
queima o cajado
forjado - / suas letras sacras
recitadas em cima
das impuras marmorarias
podres, em febres
da besta, ilusão de ótica

MIDIÁTICO
-atroz-
cérebro danificado, televisão
-veloz-
aluguel dobrado, não ama
-albatroz-
locução do diabo, religião

SEXUS, COMPLEXUS, SEM NEXUS

enigma
sangue espumado, no bojo
amalgama
sexo esfarrapado, na cama
telegrama
servo dopado, caolho

SERENATA DE AMOR

ontem...
loucura plena, declamar
totem
arranque uma pena, poemas
voltem!
noite serena; chorar;

%

tudo igual
Às vezes
terá que dividir
e o quê
irá somar
na sua vida(?)
= multiplicando
sabedoria =

IMAGEM
índio - vermelho
lua - azul
cobra - verde
arremesso
de pedras
TV fora
do ar...

GOTA

encosto o cano da arma
no ventre, disparo - amparo
uma criança não sorriu
segunda-feira pela manhã.
encosto o cano da arma,
não sente? reparo meu erro
-teu- ou nosso; criança?
teus olhos não têm brilho
nem uma lágrima - gota - ...
conta outra
para que eu possa nadar
em seu vasto oceano
e gesticular como um peixe
meu pedido de desculpas...
são pétalas perdidas
na calçada
dez/2003

ANIME

mangás, leio de cabeça
para baixo
para baixo
para baixo,
elétrico
munista
ticas
de guerra civil...
acendo o pavio,
incauto
inculto, a antiarte

A CAIXINHA DE BONECA
a boneca
deitada na caixinha
descansa sobre
o modess que
serve de colchão.
... ela deixou
de ser
menina!





















Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CUCKING STOOL - III

Cucking Stool- III


... O clichê é a alma do negócio! Tecer a ceda na mesma tecla é fazer da mentira uma verdade... "Lições preliminares de desobediência civil"

*
Sou acusado pelo lixo atômico que vegeta estas folhas... O que poderia dizer a respeito de toda esta merda? Nonsense? Quantas colheres de açucar você coloca em seu chá? Se é que você toma chá... Quantas bruxas foram queimadas por causa do livro vermelho de Mao? Acho que nenhuma!
Nonsense... Apenas a forma mais florida de burlar as leis da escrita medíocre universal, e ter a honra (pretensão ignorante, esta palavra "HONRA".) de escrever ainda mais mediocremente que os outros ardorosos Best-Sellers...
É algum tipo de vingança, algo que vem de berço, do berço da velha Alexandria... Pergaminhos e papiros amarelados corrompem a mentira que eles chamam de verdade... Ainda volto a tocar no mesmo assunto... "A alegoria da caverna", Platão, só ele para escrever um diálogo entre Sócrates e Glauco... Mas o que t…

Submarino Nuclear Russo - Doutor insekto

Submarino Nuclear Russo
Netuno abre seu largo sorriso espumando botos, e revelando baleias enquanto a pesada máquina morte emerge dos corais sua carcaça de escamas enferrujadas e cardumes perfilados em marcha serrada, onde desaba como pluma sobre o suspiro da brânquia escotilha, o pelicano faminto a devorar sua preza.

Luiz Gustavo Vargas * Doutor Insekto